segunda, 10 outubro 2022 16:43

Presidente da Câmara afirma que Oliveira do Hospital "tem de continuar a crescer"

O exercício de uma gestão autárquica ambiciosa, virada para o futuro e para a modernidade, com rigor e prudência na utilização dos recursos, marcou o discurso do presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital, José Francisco Rolo, nas celebrações do Feriado Municipal.

Naquelas que foram as primeiras comemorações do Dia do Município de Oliveira do Hospital, 7 de outubro, a que presidiu, José Francisco Rolo sublinhou a necessidade de “continuar a governar o concelho, em linha com os novos desafios do futuro”, e deixou claro que o panorama económico e inflacionista atual que afeta o país e o mundo, “e que veio desafiar as autarquias com dias difíceis e de incerteza, não pode condicionar o investimento no concelho”.

No discurso das Comemorações do Feriado Municipal, no Salão Nobre dos Bombeiros Voluntário de Oliveira do Hospital, o presidente da Câmara Municipal afirmou que “nos podemos deixar que esta pandemia da crise energética, a inflação galopante e as ondas de choque financeiro nos impeçam de continuar a governar”.

Acusando “o peso, a honra e a responsabilidade” por ter sido eleito “para desenvolver e modernizar o concelho e para servir os Oliveirenses”, defendeu que Oliveira do Hospital “tem de continuar a crescer” e frisou que tem vindo “a lutar por um concelho dinâmico, criativo e com grande vitalidade”.

A prova disso, exemplificou, é que hoje Oliveira do Hospital “é um autêntico estaleiro de obras”, referindo-se aos trabalhos em simultâneo em vários pontos do concelho, como o alargamento e requalificação da Zona Industrial, o Campus Educativo, o Centro Municipal de Proteção Civil, a Zona Histórica e as obras do Açude da Ribeira.

Sem passar ao lado dos constrangimentos inerentes, e referindo-se diretamente à obra da Casa da Cultura, José Francisco Rolo esclareceu a complexidade do processo, dizendo que “se fosse simples, certamente que já estaria resolvido”.

Solucionar o processo por via judicial não é, para já, uma premissa, uma vez que “só iria provocar mais atritos e atrasos numa obra que já deveria estar ao dispor dos cidadãos”.

Fazendo uso da máxima “As pessoas são sempre a nossa prioridade”, José Francisco Rolo defendeu que ao longo do último ano todo o Executivo tem “exercido uma governação de grande proximidade” com a população.

Foi perante este lema que afirmou que, tanto ele como o executivo que lidera, não podem “omitir a realidade” e que têm “obrigação de prestar contas” sobre a governação autárquica.

A justificar as contas, referiu-se ao corte de 724 mil euros nas Transferências do Orçamento do Estado, “aos aumentos brutais” do custo da energia, com pagamentos à EDP de mais de um milhão de euros e duzentos mil euros e à taxa de inflação, a mais alta dos últimos 30 anos.

Nesta prestação pública de contas à população, o presidente da Câmara Municipal referiu-se ainda à questão da revisão dos preços das empreitadas, cujo impacto nas contas municipais ronda os 900 mil euros.

“Fomos eleitos para encontrar soluções. Manteremos sempre o foco no exercício de uma gestão autárquica ambiciosa, virada para o futuro e para a modernidade, usando a prudência na utilização dos recursos financeiros de que dispomos e que nos foram confiados”, afirmou.

O objetivo passa por “garantir a sustentabilidade das contas municipais”, “sem abdicar” de obras importantes para o concelho e manter sempre “o rigor” do pagamento das contas num prazo oficial médio de nove dias”, fazendo de Oliveira do Hospital um dos municípios que melhor paga aos fornecedores.

Do leque de obras de que a autarquia não abdica, o presidente da Câmara Municipal destaca, na área da Educação, o Campus Educativo, com um custo de seis milhões de euros, e que estará pronto no próximo ano.

Na Saúde, o Centro de Saúde vai passar a “garantir melhor cuidados à população”, com uma intervenção com valor superior a dois milhões de euros, através de candidatura ao PRR.

Perante o Secretário de Estado da Conservação da Natureza e Florestas, João Paulo Catarino, que presidiu à cerimónia do Feriado Municipal, o presidente da Câmara avançou avançou que, no domínio da floresta e do ordenamento do território, Oliveira do Hospital é um concelho que conta “com mais áreas abrangidas pelo novo modelo de gestão florestal, que sairá das futuras AIGP’S - Áreas Integradas de Gestão de Paisagem”.

Na Energia, Oliveira do Hospital, que já faz chegar “gás natural às famílias e às empresas”, num investimento privado de 4,5 milhões de euros por parte da empresa concessionária Beiragás, está a preparar “o procedimento de contratação pública internacional para beneficiar a Zona de Industrial com um investimento de 7,5 milhões de euros.

Este investimento contempla a criação de um parque fotovoltaico para autoconsumo e armazenamento de energia renovável, ilhas de qualidade energética A+, soluções de carregamento de viaturas elétricas e abastecimento a hidrogénio e ainda cobertura de Banda Larga Rápida 5G, recurso a videovigilância e controlo digital, e sistema de prevenção e proteção contra incêndios.

O Município vai ainda adquirir de três autocarros elétricos, “cerca de 700 mil euros em mobilidade elétrica, com vista à promoção da utilização de energias limpas”.

Em linha com os desafios do futuro, vai ser instalado no edifício da Câmara Municipal um “Espaço Cidadão”, balcão que pretende reforçar a modernização dos serviços, criar mais proximidade aos cidadãos e uma administração mais ágil e próxima das pessoas.

O apoio às freguesias esteve também em destaque na mensagem de José Francisco Rolo no discurso das Comemorações do Feriado Municipal. Apesar da realidade económica atual e da redução da receita fornecida pelo Estado, a autarquia “manteve os apoios ao nível das transferências financeiras para as freguesias, num montante de cerca de 700 mil euros”.

A área da Habitação é “um dos grandes desafios do futuro” assumido por José Francisco Rolo. Concluída a obra de requalificação do Bairro João Rodrigues Lagos, foi recentemente aprovada a Estratégia Local de Habitação.

“Vai permitir ao Município dar resposta no âmbito da nova Geração de Políticas Públicas de Habitação, colocando ao dispor dos munícipes as vantagens e melhorias da situação habitacional a mais de 160 cidadãos Oliveirenses”, esclareceu José Francisco Rolo.

Outra premissa do Município diz respeito aos Programas de Apoio Social à famílias, como o Programa Municipal de Apoio à Natalidade, os transportes escolares gratuitos até ao 12º ano, o Programa Casa Digna, a ação social escolar ou o programa de comparticipação de medicamentos a pessoas carenciadas, do qual o presidente da Câmara afirma que o Município “nunca abdicará”.

“Estamos perante muito trabalho pela frente. Mas, apesar da crise, dos cortes e do brutal aumento da despesa municipal, seremos sempre uma Câmara Municipal próxima das pessoas, de portas abertas, com coração e de elevada responsabilidade social”, garantiu José Francisco Rolo.

        

ptnlenfres

CONTACTOS

 

Username *
Password *
Remember Me